Como funciona um leilão de veículos?

Especialmente porque o preço é bem mais em conta que os praticados no mercado de seminovos e usados, os carros de leilão parecem ser mais atraentes para os consumidores mais inexperientes. Geralmente, o preço de um carro usado em leilão é inferior a 30% em relação ao preço real da tabela da Fipe. Essa prática é benéfica para revendedores de veículos e consumidores finais que desejam um carro bom, mas acabam sem uma renda correspondentemente alta na maioria das vezes.

No entanto, antes de entrar neste modelo de negócio, é necessário tomar uma série de cuidados. Você deve se informar totalmente com antecedência para entender como esse processo funciona e os riscos e benefícios que ele traz. Para ajudá-lo, respondemos algumas das principais perguntas dos consumidores sobre leilões de automóveis abaixo. Confira:

Como funciona um leilão de veículos?

Os leilões de veículos funcionam da mesma maneira que os leilões tradicionais:  vence aquela pessoa que der o maior lance, ou seja, a maior quantia pelo lote anunciado, a partir do valor mínimo. Os ativos devem ser adquiridos à vista em um prazo pré-determinado, mas algumas leiloeiras também oferecem a opção de parcelamento. Além disso, o trabalho do leiloeiro exige uma comissão de 5% – profissionais que mediam a venda durante o evento – bem como documentação do veículo e taxas de reboque.

Quais são os tipos de veículos que posso arrematar?

Nos leilões, é possível adquirir diversos tipos de veículos, por exemplo, carros e motos populares ou importados, caminhões das mais diversas marcas e até veículos de grande porte como aviões e barcos. Também é possível encontrar lotes novos de frotas antigas pertencentes a empresas e montadoras, carros usados ​​apreendidos por falta de pagamento ou outros incidentes como furto, peças sobressalentes originais e carrocerias em bom estado.

Como ver a procedência do veículo?

Uma das principais características negativas dos leilões é que as partes interessadas não podem testar os veículos leiloados. Isso se deve principalmente ao grande número de veículos ofertados no leilão. Desse modo, as empresas responsáveis não pode fornecer, por exemplo, as mesmas condições de avaliação que uma concessionária com o auxilio de um vendedor daria.

Nestes eventos, você só pode usar seus próprios olhos para verificar os detalhes do acabamento e danos na lataria e conjunto mecânico. Você nem mesmo tem permissão para dirigir, muito menos engatar uma marcha para um test drive para avaliar se é realmente bom para transitar por aí. Portanto, se você não tem o mínimo conhecimento para avaliar se o carro está em boas condições a olho nu, comprar um carro de leilão pode ser problemático.

Preciso pagar o imposto e os reparos do veículo que arrematei?

Se um participante do leilão adquirir um veículo danificado ou em atraso com IPVA, ele será responsável por pagar os custos de reparo e dívidas futuras. Portanto, é importante verificar as informações sobre o veículo e, se permitido, avaliá-lo minuciosamente antes de licitar.

Comments

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

NOVAS: